quinta-feira, 20 de março de 2014

anotações esquecidas

...levantei da cama sem me dar conta se ainda era claro ou escuro;
andei pela casa um tanto cambaleante e resolvi  sentar no alpendre
onde avistei uma siriema que corria com as pernas amarradas.


Essa é tua nova morada. – disse­-me o animal.

nesse dia teimei em deixar a bíblia fechada e a janela aberta, para que, de alguma forma,
pudesse sentir as gotas de chuva dançarem pelo meu corpo

mas o que entrou pela janela foi uma brecha de luz que pousou lenta sobre a cama como se pudesse, ali, esconder­-se do mundo e descansar sobre o silêncio.

hoje, logo depois que a noite havia desdobrado-se em dia, coloquei na cama o lençol branco, para que assim você pudesse sentar confortável na ponta da cama e ficar ali, imóvel, e com o olhar fixo no chão.



senti que o vazio lhe dizia muito mais do que qualquer outra coisa.






depois de alimentar essa memória
fui escutar o barulho do mar na janela, pois percebi que é difícil alguem escutar de verdade
o que chega na maioria das vezes é só ruído.

fui

enterrar meu corpo

no cimental.

mas paro por aqui,

para poder ainda imaginar seu olhar preso em Sagarana...

Um comentário:

americo ortega disse...

olá Natame, por favor poderia me mandar a data do lançamento.
Sou teu fã há 2 anos.
americogo@outlook.com

atenciosamente
américo

...